A Terapia de Jorge
Capítulo 05

Obra de ficção criada pelo psicólogo Alexandre Rivero

Jorge apresenta-se na Terapia mais tranquilo, esta percebendo a irracionalidade de alguns pensamentos. A auto-aceitação aumentou significativamente, entende de maneira mais aceitadora a angústia que experimenta como algo humano. Mas ainda sente-se confuso internamente. Começa a falar de seus sentimentos, mágoas, decepções, medos, culpas, afetos...

 

Jorge faz um grande desabafo ou catarse. Interessante observar que quando entrou na sala o dia estava nublado, fecha os olhos e começa a falar... desabafar.... Jorge ainda de olhos fechados tem um insight: "Parece que todos estes sentimentos que venho contendo, negando, não me permitindo entendê-los acabam manifestando-se como esta angústia intensa e persistente." 

 

Ao abrir os olhos, dirige seu olhar à janela da sala de terapia o clima havia mudado e o sol venceu as nuvens, o "tempo estava aberto".

 

 

O Terapeuta sorri e diz: "Creio que Jung poderia nos ajudar entender este momento, parece que esta acontecendo um fenômeno de sincronicidade, você estava "nublado internamente", conforme aprofundou seus sentimentos sua vida interior foi ficando mais clara. Assim como o tempo lá fora no mundo externo. " Jorge sorri e a sessão caminha para o final. 

 

*Carl Gustav Jung estudou o fenômeno da Sincronicidade, um evento não guarda relação de causa e efeito com outro. Mas entendendo um dos eventos acabo por entender ao outro. No Oriente estas relações sincrônicas desde a antiguidade são valorizadas.

Navegue pelos Capítulos